Analise De Vulnerabilidades Contra Ameaças Virtuais

Qual a importância da análise de vulnerabilidades contra ameaças virtuais?

A segurança da informação é uma das principais preocupações das empresas, e a analise de vulnerabilidades se destaca como a técnica mais utilizada dentre as melhores práticas disponíveis. A vulnerabilidade é o ponto fraco das aplicações e de toda a infraestrutura de TI de um negócio. Assim, analisando-a, é possível identificar e eliminar todas as ameaças virtuais presentes no sistema.

Você sabe qual a importância da análise de vulnerabilidades contra ameaças virtuais para uma empresa? Então, continue a leitura deste artigo e descubra.

 

Quais as origens da vulnerabilidade?

Todo e qualquer sistema que manipula dados está sujeito a certa vulnerabilidade. A conexão com a internet, por exemplo, é utilizada por pessoas mal-intencionadas para desestabilizar sistemas e roubar informações valiosas.

Contudo, o acesso a esse tipo de informação não depende exclusivamente da web: ele pode se dar remotamente, por meio de dispositivos bluetooth ou telefones, via engenharia social. Sendo assim, é possível afirmar que a origem do problema se encontra em falhas e brechas de segurança.

É válido afirmar que os pontos fracos são, normalmente, falhas em um código-fonte, erros de configuração, brechas nas redes de dados e, até mesmo, imperfeições nas políticas de segurança da informação. As principais origens são:

  • falha humana — colaboradores que não passaram por um treinamento adequado e acabam clicando em links suspeitos ou realizando o download de arquivos maliciosos;
  • erros de programação — falhas que ocorreram no desenvolvimento de sistemas, mantendo brechas que podem ser utilizadas por hackers para invadi-los. Erros no tamanho do buffer ou uma região de memória reservada apenas para escrita e leitura de dados são alguns exemplos;
  • má configuração — aplicativos de segurança que não são configurados corretamente e não apresentam um funcionamento adequado, como pode acontecer em um firewall. Dessa forma, hackers podem achar brechas para ataques maliciosos.

Tudo isso possibilita que ciberataques, como ransomwares, provoquem danos às informações das organizações. Porém, tais questões podem ser evitadas com uma análise de vulnerabilidades efetiva, que seja capaz de identificar e tratar esses pontos. 

Por que a análise de vulnerabilidades é importante?

A análise de vulnerabilidade torna-se importante em uma empresa pelo simples fato de garantir alguns aspectos importantes em relação à gestão de informações e dados digitais. Pode-se dizer que tal técnica:

  • permite a identificação e mitigação de falhas do sistema;
  • demonstra o que fazer para corrigir as fragilidades;
  • possibilita a visualização de relatórios completos;
  • acompanha toda a evolução de segurança. 

É interessante destacar que o relatório oriundo de uma análise de vulnerabilidade bem realizada fornece informações essenciais, indicando a melhor estratégia para manter os sistemas da companhia protegido de falhas, invasões e ataques. Veja, a seguir, alguns motivos para realizar esse processo.

Previne problemas de segurança

Um dos principais pontos que comprova a importância da análise de vulnerabilidade contra ameaças virtuais em uma empresa é a capacidade de prevenir problemas de segurança.

Sendo assim, o investimento na análise de vulnerabilidade deve ser capaz de identificar e eliminar todos os pontos de fragilidade que forem identificados no sistema. Dessa maneira, será possível prevenir problemas relativos à segurança e garantir a integridade dos dados da companhia.

Identifica possíveis ameaças

Mantendo a linha de raciocínio do tópico anterior, pode-se afirmar que a análise de vulnerabilidade também será essencial no processo de identificação de possíveis ameaças. Ou seja: serão detectadas as portas de entrada que podem ocasionar ataques virtuais.

Em conjunto com a identificação das ameaças, é interessante avaliar todos os ativos presentes na infraestrutura tecnológica da empresa e listá-los por ordem de importância. Em primeiro lugar, devem se encontrar as de maiores falhas, capazes de causar grandes prejuízos. Essa listagem servirá como um guia de prioridade para a solução e o controle das ameaças.

Ajuda a minimizar os impactos de ataques virtuais

Hoje em dia, os ataques cibernéticos estão cada vez mais sendo automatizados, o que aumenta a capacidade de testar mais alvos em um menor espaço de tempo. Esse processo pode ser repetido infinitas vezes, à espera de um deslize de seu sistema de segurança.

Um ataque realizado nesses moldes é capaz de prejudicar usuários comuns, mas seu principal objetivo é gerar transtornos nas organizações. Assim, prejuízos financeiros, como a presença de adversidades em boletos e transferências ou a perda de dados dos clientes, são alguns dos principais problemas ocasionados.

Entretanto, a análise de vulnerabilidades será suficiente para eliminar esse tipo de situação. Sempre que uma brecha aparecer no sistema, os hackers o invadirão, mas seu sistema de proteção conseguirá minimizar os impactos e os prejuízos.

Define responsáveis para a correção

Outra vantagem do uso dessa técnica para a proteção de seu sistema é a delegação de tarefas. Após a identificação dos pontos fracos, inicia-se o processo de solução de tais interferências.

Para tanto, é preciso definir os responsáveis pela correção de cada problema encontrado, o que facilita o controle das ações e a percepção de quando tudo já está finalizado.

Fornece informações valiosas para novas estratégias

O mundo está em pleno desenvolvimento e, em conjunto com o surgimento de tecnologias, há diferentes maneiras de hackear ou invadir os programas das organizações.

Em contrapartida, os sistemas de proteção também estão em constante evolução. O processo de análise de vulnerabilidade, por exemplo, permite que os responsáveis tenham informações valiosas para novas estratégias, garantindo a segurança dos dados.

Além disso, tal prática pode ser utilizada como uma fonte poderosa de conhecimento para a realização da gestão de riscos de segurança da informação. Assim, todas as ameaças serão identificadas e solucionadas — sem contar que as oportunidades podem ser maximizadas e aproveitadas. Pense nisso!

Quais são os problemas enfrentados pelas principais empresas?

Certamente, você já ouviu falar sobre roubos ou sequestro de dados em algumas empresas espalhadas pelo mundo. Essas situações foram consideradas crimes virtuais, mas os infratores conseguiram causar grandes prejuízos aos usuários dos respectivos serviços. Veja mais abaixo.

Uber

A gigante do ramo de aplicativos de transporte já foi um dos alvos desses ataques. Cerca de 57 milhões de clientes tiveram seus dados expostos pelos criminosos. As principais informações vazadas foram nome completo, número de telefone e endereços de e-mail (tanto de motoristas quanto de clientes).

Netshoes

A Netshoes também sofreu com ciberataques. A empresa do ramo de e-commerce viu os dados de 500 mil clientes expostos na rede.

Nesse caso, um volume maior de informação foi lançado, como nome completo, data de nascimento, endereço de e-mail, valor e data da última compra, além do histórico de transações. Pode-se dizer que esses dados são um campo incrível para hackers realizarem ataques específicos.

Como implementar a análise de vulnerabilidade?

Agora que você já viu quais são as origens da vulnerabilidade e qual a importância de detectá-las, é preciso saber como implementar esse tipo de sistema em uma companhia. Para tanto, é necessário cumprir algumas rotinas básicas, como identificar e classificar todas as falhas existentes.

Para conseguir localizar as principais brechas, você pode realizar testes de invasão. Verifique onde se encontram os focos dos problemas e qual o grau de importância de cada um deles, classificando-os.

Após a determinação das prioridades, deve-se iniciar o processo de correção. Consequentemente, a segurança de dados de toda a empresa melhorará.

Finalizada essa atividade, é recomendado estabelecer um controle constante, garantindo que as atualizações sejam lançadas com a devida proteção e que novas formas de invasão não possam ser capazes de afetar o sistema. Essa é a melhor maneira de realizar um processo de análise de vulnerabilidades completo e efetivo.

Gostou de nosso artigo? Siga-nos no FacebookTwitter e no Linkedin agora mesmo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *