Erros De Segurança Da Informação

5 erros de segurança da informação cometidos pelas empresas

A gestão da segurança da informação se torna cada vez mais importante e crítica para o sucesso das empresas nos dias de hoje. Os gerentes precisam tomar muitas medidas de segurança em um processo sistemático para evitar erros de segurança da informação.

As políticas de segurança, os sistemas de detecção de violações, os sistemas de controle de acesso e os programas antivírus são alguns dos exemplos que protegem as informações contra possíveis ameaças e riscos.

As empresas precisam seguir uma abordagem de gestão integrada e holística para saber quais são os principais erros cometidos com segurança da informação e também como evitá-los.

 

A importância da segurança da informação nas empresas atualmente

Na era da internet, proteger as informações da sua organização tornou-se tão importante quanto proteger sua propriedade. As informações são consideradas essenciais para um negócio bem-sucedido e lucrativo, e os funcionários da organização trabalham como veias e artérias para passar essas informações. Não importa o tamanho da sua empresa, você precisa ter um plano para garantir a segurança de suas informações.

A informação é um dos principais ativos da organização, e deve ser adequadamente protegida. Prezar pela segurança significa combinar sistemas, operações e controles internos para garantir a integridade e a confidencialidade dos dados e procedimentos operacionais em uma organização.

Embora o ar fresco da internet tenha permitido que as empresas adotassem rapidamente seu ecossistema tecnológico, também provou ser uma grande fraqueza do ponto de vista da segurança da informação. Desde então, houve casos de dados roubados e perda de informações confidenciais de clientes da organização.

A perda de informação afeta todos os aspectos estruturais e comportamentais de uma organização — uma lacuna em um Firewall pode permitir que informações sejam roubadas, e um computador infectado por vírus conectado à rede de uma organização pode destruir informações.

 

Principais erros de segurança da informação e como evitá-los

Para afastar hackers e cibercriminosos, você precisa aliar sistemas de proteção á políticas de segurança de rede. Mais do que isso, é necessário ainda implantar um monitoramento contínuo a estas políticas. A segurança de rede que não está sendo atualizada ou mantida diariamente é tão perigosa quanto não ter nenhuma segurança de rede.

Infelizmente, não há uma única solução que aborde todos os problemas de segurança cibernética em todas as organizações e em todos os setores. No entanto, há erros de segurança da informação comumente vistos em ambientes de clientes que colocam uma organização em risco adicional no crescente cenário de ameaças.

Confira a seguir uma lista dos 5 erros de segurança de rede mais comuns e saiba como evitá-los!

1. Falha no controle de acesso

O modelo convencional baseado em “usuário e senha” não garante proteção em alto nível. Hoje, na maioria das vezes os criminosos encontram maneiras de penetrar na rede quebrando senhas de usuários que acabam utilizando senhas mais “fracas”.

Uma vez que um criminoso está dentro, ele opera livremente sem ameaça de detecção porque ninguém está olhando. Ele operará impunemente, representando grave perigo para a sua organização uma vez que ele possui credenciais válidas e pode acessar tudo que seus usuários tem permissão. Por isso é importante implementar o monitoramento contínuo dos acessos realizados através de Auditoria nos registros de acesso (logs).

Solução:empregue tecnologias que monitorem o acesso continuamente. A visibilidade do acesso é fundamental para fazer a transição da segurança reativa para a detecção proativa.

A agregação de grandes faixas de dados e a busca por comportamentos anômalos em toda a empresa ajudarão a identificar indicadores de ataque. Se você puder identificar atividades suspeitas em sua rede com rapidez, poderá isolar e mitigar o impacto dos invasores na sua rede.

2. Falha no controle de usuários e senhas

Seus funcionários não são especialistas em rede — e tudo bem —, mas eles precisam estar cientes do protocolo básico de segurança de rede para que você não tenha 20 pequenas responsabilidades correndo pelo seu escritório todos os dias.

É fácil para um funcionário que não é especialista em computação clicar acidentalmente em um link perigoso ou baixar um anexo de e-mail suspeito, que por acaso é um vírus.

Não estamos dizendo que eles precisam conhecer todos os detalhes dos computadores, mas eles devem ter uma ideia geral sobre como evitar spyware e malware, e devem estar cientes de quaisquer novas ameaças de segurança de rede ou vírus que surgirem.

Solução: certifique-se de que os funcionários saibam como reconhecer anexos suspeitos e proíba o acesso a sites que possam representar uma ameaça à sua rede. Para ajudar os funcionários a praticar um protocolo de segurança de rede, é imprescindível que os acessos de todos os usuários sejam filtrados através de um sistema de Proxy, um filtro que irá controlar que sites são permitidos ou não e ainda proteger usuários e empresa contra possíveis ameaças, sites falsos e/ou maliciosos.

3. Falha na atualização da rede

As empresas nunca poderão evitar todos os ataques, pois as redes são cada vez mais complexas e há muitas oportunidades para pessoas mal intencionadas. Contudo, não entender a arquitetura da sua rede e manter seu software desatualizado abre portas para um adversário violar o sistema com pouca ou nenhuma resistência.

Solução: no nível corporativo, a equipe de TI deve implementar protocolos robustos para garantir que todos os sistemas sejam atualizados em tempo hábil. A organização deve saber onde estão seus dados críticos, qual é o tamanho da rede, onde estão os pontos de saída e como a rede é segmentada.

A falta de compreensão dos princípios básicos da rede e da “higiene da rede” padrão coloca a empresa em risco desnecessário. Tenha um senso de urgência e aplique sempre os patches de segurança disponibilizados para que falhas de software já conhecidas não acabem se tornando em brechas de segurança em sua rede.

4. Não assumir ser alvo de um ataque

Sejam grandes ou pequenas, as empresas em praticamente todos os setores são vulneráveis ​​a ataques. Muitas vezes, no entanto, as histórias que fazem as manchetes de notícias são sobre o roubo de dados de cartão de crédito ou informações pessoalmente identificáveis.

Como resultado, as empresas que não lidam com esse tipo de dados geralmente acreditam que elas não são um alvo desejável para os adversários virtuais. Na realidade, os cibercriminosos estão conduzindo campanhas massivas em todos os setores da economia para penetrar em redes e furtar informações e ativos.

Solução: leve esse risco a sério. Quando a liderança da sua empresa começar a considerar a segurança da informação como uma prioridade de negócios, encontrará especialistas em segurança qualificados para realizar avaliações e testes que identifiquem vulnerabilidades em toda a rede, sistemas, pessoas e processos da empresa.

5. Falha em confiar apenas nas tecnologias antivírus

No sofisticado panorama atual de ameaças, as tecnologias antivírus sozinhas não são suficientes para impedir ataques persistentes e avançados. As ameaças evoluem mais rapidamente do que muitas empresas conseguem atualizar suas ferramentas. O que está agravando o desafio é que os atacantes usam cada vez mais táticas de invasão livres de Malware como Ataques Dirigidos e Ransomwares.

Solução: o software antivírus ainda é útil e deve ser mantido atualizado. No entanto, responder apenas a ameaças que já foram identificadas é como ser um guarda de banco que deixa um ladrão entrar porque a polícia ainda não divulgou a descrição de um suspeito de roubo.

Um bom guarda bancário sabe procurar atividades maliciosas em qualquer lugar que possa ser encontrado. As soluções antivírus tradicionais podem capturar malware comum, mas não são páreo para cibercriminosos avançados que adotam táticas furtivas de invasão.

As organizações precisam empregar soluções que identifiquem a intenção de uma URL ou arquivo de forma online, antes que estes cheguem até a caixa de entrada ou dispositivo do usuário, mesmo que não haja assinaturas conhecidas tal como Sandbox e outros sistemas específicos de proteção avançada contra ameaças de Hora-Zero.

Quer saber mais sobre segurança da informação? Assine nossa newsletter e fique por dentro das novidades!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *