Dicas para politica antispam

O e-mail ainda é uma das ferramentas de comunicação mais utilizadas em todo o mundo. Mesmo com a ascensão de novas plataformas de comunicação como Whatsapp, Telegram e Slack, o e-mail ainda é uma importante ferramenta corporativa e isso não deve mudar tão cedo. 

Nos últimos anos, porém, o número de empresas que adotam o e-mail marketing e a quantidade de informações perigosas que recebemos aumentaram consideravelmente. Assim, ter uma política antispam se tornou fundamental para qualquer negócio.

É preciso deixar claro que o spam nada mais é do que uma propaganda indesejada. Contudo, o avanço dos recursos tecnológicos fez com que os sistemas de proteção englobem mais do que ações antispam, mas sim protejam o usuário contra outras ameaças (e-mail gateways).

O ideal é contar com políticas que sejam capazes de prevenir alguns tipos de mensagens, como e-mails falsos, ataques cibernéticos direcionados, phishing (que buscam obter dados pessoais dos usuários) e malwares (que espalham vírus, bots e outras ameaças). Essa é a única maneira de garantir a segurança dos dados de sua empresa.

Interessou-se pelo assunto? Então, continue a leitura deste artigo e veja 4 dicas para melhorar a política antispam de sua empresa.

 

Como as empresas são atacadas pelo e-mail?

Primeiramente, é preciso compreender como as empresas são atacadas pelo e-mail. Assim torna-se possível escolher um bom sistema de proteção e, consequentemente, definir uma política antispam eficiente e de qualidade.

Existem várias maneiras utilizadas por hackers para a realização de ciberataques às empresas, além do spam. Como já destacado, o spam é um tipo de e-mail específico cujo conteúdo são propagandas não autorizadas, mas há outros e-mails que podem causar sérios danos a uma empresa e, nesse caso, garantir a devida proteção pode ser de grande valia.

Considere alguns pontos importantes, como os seguintes, quando pensar em adquirir proteção:

  • antimalware: utilizado para verificar ameaças de vírus em anexo;
  • antiphishing: utilizado para identificar se há algum link falso no e-mail ou se o e-mail encaminhará o usuário para alguma página falsa (melhor exemplo são os e-mails falsos de bancos, pedindo informações sobre sua conta);
  • criptografia: forma de garantir a segurança das informações enviadas por e-mail. Para tanto, o destinatário receberá apenas um “aviso de e-mail” e, quando clicar no link, um browser seguro será aberto, permitindo a visualização das informações;
  • controle de surto: identifica o aumento de e-mails destinados ao seu negócio em um momento de surto por ataque contra a empresa;
  • DLP (Data Loss Prevention): sistema de prevenção a roubo de informações. Esse sistema é capaz de verificar todas as informações que saem por e-mail da empresa, impedindo o vazamento de dados confidenciais, como cartão de crédito, CNPJ, CPF, entre outros.

 
Relatório do FBI sobre Fraudes por E-mail

 

Quais são os problemas causados pelo spam?

O spam pode trazer sérios prejuízos à sua organização, impactando na produtividade das atividades por parte de seus colaboradores e afetando os resultados e a qualidade do negócio. Portanto, contar com uma política antispam não é um luxo, mas uma grande necessidade. Veja algumas vantagens:

Recebimento de e-mails

A maioria dos provedores de internet define um determinado tamanho para a caixa postal. Caso o número de spams recebidos seja grande, haverá o risco de a caixa de entrada ficar lotada, impedindo o recebimento de novas mensagens até que novos espaços sejam liberados.

Perda de tempo

Obviamente, cada spam recebido tirará a atenção do usuário, fazendo-o perder tempo identificando o e-mail e removendo-o para a lixeira. 

Perda de produtividade

Se o usuário está perdendo tempo identificando e-mails que são spams, certamente ele também estará perdendo sua produtividade. Além disso, haverá possibilidade de receber e-mails importantes e somente realizar sua leitura com atraso, perdendo oportunidades interessantes.

Prejuízos financeiros

E-mails spams têm sido utilizados para espalhar esquemas fraudulentos, que serão responsáveis por induzir o usuário a acessar páginas falsas ou instalar programas nocivos para furtar dados importantes. Assim, o usuário pode sofrer grandes perdas financeiras, caso as informações solicitadas sejam fornecidas ou as instruções dadas sejam executadas. Além disso, a própria redução da produtividade causa prejuízos financeiros para as empresas.

 

Como melhorar a política antispam de uma empresa?

Agora que você já sabe como as empresas são atacadas pelo e-mail e quais são os problemas ocasionados pelo spam, é preciso identificar maneiras para melhorar a política antispam de sua empresa. Veja as dicas a seguir:

1. Controle o fluxo de e-mail

Em primeiro lugar, é preciso controlar o fluxo de e-mail, ou seja, identificar a origem e o destino dos e-mails. Assim, é possível compreender, com mais facilidade, os tipos de problemas que podem aparecer e a sua abrangência.

2. Identifique o motivo do spam

Identificar o motivo pelo qual determinado e-mail foi considerado spam também é fundamental para o sucesso. Esse tipo de prática facilitará a tomada de medidas para intensificar a proteção e, em alguns casos, garantir que e-mails importantes sejam destinados para a caixa de entrada.

Dessa maneira, essas informações serão recebidas integralmente, evitando perder prazos ou dados importantes por conta de e-mails que foram considerados como lixo eletrônico erroneamente.

3. Verifique a reputação do remetente

Uma boa política antispam deve contar com sistemas de proteção que sejam capazes de verificar a reputação de origem do e-mail. Dessa forma, grande parte dos casos de spam serão evitados, simplificando os principais aspectos da segurança da informação.

4. Sincronize com os diretórios

Fazer com que a política antispam seja sincronizada com o sistema de diretórios de uma empresa pode ser de grande valia para que o próprio sistema de proteção saiba se o destinatário é válido ou não, evitando o chamado “ataque de dicionário”.

Um ataque de dicionário é um método utilizado por alguns hackers com objetivo de adivinhar senhas por meio de testes com palavras do dicionário ou combinações de palavras. Esse tipo de ataque é responsável pela necessidade de utilização de senhas fortes e pela necessidade de atualizações constantes em nosso cadastro. Faz sentido, não faz?

 

O que fazer para o antispam funcionar corretamente?

A melhor maneira para contar com uma política antispam eficiente se dá por meio da contratação de especialistas no assunto. Existem profissionais e empresas que detêm grandes conhecimentos em segurança da informação e, certamente, poderão ajudar o seu negócio a se proteger.

Os profissionais e colaboradores poderão efetuar uma análise completa do ambiente virtual do seu negócio, buscando soluções para os problemas identificados. Assim, eles terão certeza de que o sistema de proteção aos e-mails terá a configuração necessária tanto para o recebimento de informações quanto para o seu envio para destinatários fora da empresa. Vale a pena contar com esse serviço, não é mesmo?

 
Antispam em Cloud

 
Uma política antispam de qualidade pode ser fundamental para o sucesso do seu negócio, principalmente se o uso de e-mails é uma rotina necessária e imprescindível em suas atividades. Essa é uma das principais maneiras de garantir a segurança das informações e evitar grandes dores de cabeça. Pense nisso!

E aí, gostou do nosso artigo? O que achou das dicas para melhorar a política antispam que fornecemos? Ficou com alguma dúvida? Então, entre em contato conosco que teremos prazer em ajudar. Estamos te esperando!

Siga-nos no FacebookTwitter e no Linkedin agora mesmo!