riscos de segurança da informação

Atualmente, as empresas dependem de conectividade instantânea e ininterrupta, dispositivos físicos inteligentes e pessoas confiáveis. Contudo, essa dependência as torna vulneráveis a ataques à infraestrutura central da Internet, a dispositivos usados nos negócios diários e a pessoas-chave, ou seja, aquelas que têm com acesso a informações de missão crítica. Conheça os principais os riscos de segurança da informação.

 

Os perigos e riscos de segurança da informação

Sim, a tecnologia e a conexão constante da sociedade permitem mais conectividade nos negócios do que nunca. Mas, por outro lado, os cibercriminosos estão descobrindo novas maneiras de explorar as redes mais sensíveis do mundo. 

Nesse contexto, proteger os dados corporativos é um desafio crescente, mas a conscientização é o primeiro passo. Veja agora os riscos de segurança da informação atuais!

 

Roubo de dados

É o ato de roubar informações armazenadas em computadores, servidores ou outros dispositivos de uma vítima inconsciente com a intenção de comprometer a privacidade ou obter informações confidenciais. Essa prática é um problema crescente tanto para pessoas físicas, quanto para grandes corporações.

É importante mencionar que o roubo de dados ocorre tanto dentro quanto fora das empresas, e reduzir o risco de captura de dados internos no nível corporativo não é fácil.

Afinal de contas, os administradores e funcionários do sistema têm acesso à tecnologia, como servidores de banco de dados, computadores desktop e dispositivos externos, incluindo USBs, smartphones e outros dispositivos móveis e removíveis.

 

Espionagem industrial

É a prática secreta e, às vezes, ilegal de investigar os concorrentes para obter uma vantagem comercial. O alvo da investigação pode ser um segredo comercial, como uma especificação ou fórmula de produto, ou informações sobre planos de negócios. Em muitos casos, os espiões industriais estão simplesmente buscando qualquer dado que sua organização possa explorar para sua vantagem.

Um espião industrial pode ser uma ameaça interna, como um indivíduo que obteve um emprego na empresa com o objetivo de espionar ou um funcionário descontente que troca informações para ganho pessoal ou vingança. Os espiões também podem se infiltrar por meio de táticas de engenharia social, por exemplo, enganando um funcionário para divulgar informações privilegiadas.

 

Phishing

É uma forma de fraude em que um invasor se disfarça de entidade ou pessoa respeitável por e-mail ou outros canais de comunicação. O invasor usa e-mails de phishing para distribuir links ou anexos maliciosos que podem executar uma variedade de funções, incluindo a extração de credenciais de login ou informações de conta das vítimas.

Dos riscos de segurança da informação, o phishing é o mais popular entre os cibercriminosos, pois é muito mais fácil enganar alguém para que clique em um link malicioso em um e-mail de phishing aparentemente legítimo do que tentar romper as defesas de um computador.

 
Antispam em Cloud

 

Quebra de senha

É exatamente o que parece — a quebra de senha é uma forma clássica de ataque. Esses cibercriminosos adivinharão sua senha repetidamente e a verificarão em um hash criptográfico. Isso será usado para entrar no sistema, causar danos e roubar dados armazenados.

Há apenas uma maneira de se defender contra esse tipo de ataque — crie uma senha forte e memorável, contendo uma combinação de letras maiúsculas/minúsculas, números e símbolos, e não se esqueça de alterá-la regularmente sem padrões óbvios.

 

Ransomware

Consiste em um subconjunto de malwares em que os dados no computador da vítima são bloqueados, geralmente por criptografia, e o pagamento é exigido antes que os dados do resgate sejam descriptografados e o acesso seja devolvido.

O motivo dos ataques de ransomware é quase sempre monetário e, ao contrário de outros tipos de ataques, a vítima geralmente é notificada de que uma exploração ocorreu e recebe instruções sobre como se recuperar do ataque. Geralmente, o pagamento é exigido em uma moeda virtual, como bitcoin, para que a identidade do cibercriminoso não seja conhecida.

Os ransomwares podem ser distribuídos por meio de anexos de e-mail maliciosos, aplicativos de software infectados, dispositivos de armazenamento externo infectados e sites comprometidos. Um número crescente de ataques tem usado o protocolo de área de trabalho remota e outras abordagens que não dependem de nenhuma forma de interação do usuário.

 

Funcionários pouco treinados

Quando uma empresa falha em educar seus funcionários sobre riscos de segurança da informação, está pedindo por problemas.

Assim, certifique-se de que os funcionários saibam os riscos envolvidos na leitura de e-mails pessoais, no clique a links ou na visita a sites não aprovados na rede corporativa. Assegure-se de também explicar como algo tão simples, quanto um smartphone, notebook ou tablet perdido ou extraviado que tenha acesso à empresa e às senhas, é extremamente perigoso.

 

Dispositivos pessoais (BYOD)

Todos têm, pelo menos, um dispositivo móvel pessoal que carrega consigo em todos os momentos. Algumas empresas até fornecem a determinados funcionários um notebook, tablet ou celular para serem usados para fins comerciais.

Isso significa que vários dispositivos móveis podem acessar a rede de um único funcionário. A maioria de todas as violações de segurança resulta justamente desse uso. Basta um funcionário baixar um aplicativo que tenha um vírus oculto ou outro software semelhante a um cavalo de Tróia e seu sistema pode ficar comprometido.

 

Serviços em nuvem

Qualquer aplicativo baseado em nuvem vem com vários riscos de segurança. O fato de esses aplicativos poderem ser acessados a qualquer momento, em qualquer lugar, torna-os extremamente perigosos.

Se um funcionário usar um serviço de nuvem para armazenar arquivos ou dados, permitindo que eles trabalhem remotamente, sua rede pode estar em risco. Se alguém colocar um vírus ou outro tipo de malware em um dispositivo ou em um arquivo e entrar na nuvem, ele poderá alcançar qualquer sistema que se conecte a ela.

 

Dispositivos desatualizados

Alguns dispositivos de rede, como roteadores, impressoras e servidores internos, usam firmware ou software para sua operação. Isso significa que esses dispositivos exigem atualizações, também conhecidas como patches, para eliminar vulnerabilidades e melhorar o desempenho.

Muitas práticas de segurança afirmam que todas as atualizações automáticas de patches devem ser desativadas, todavia, muitas empresas não conseguem verificar manualmente essas atualizações. Isso significa que vários dispositivos de rede podem ser facilmente invadidos devido a protocolos de segurança desatualizados.

Para se proteger dos riscos de segurança da informação, é imprescindível conhecê-los em suas constantes mudanças e modos de ataque. Afinal de contas, a segurança é fundamental para o funcionamento de uma organização — e não pode ser descuidada em nenhum instante!

Agora que você conhece os principais riscos de segurança da informação, não deixe de assinar nossa newsletter e ficar inteirado com muito mais! Vamos lá!