Segurança para IOT

Com a enorme quantidade de dispositivos conectados que coletam informações pessoais, tornou-se recorrente a preocupação das empresas com a segurança em IoT (internet das coisas).

Apesar de seu uso ainda não estar ainda completamente difundido, a Internet das Coisas (IoT) já está afetando o nosso dia a dia, desde pequenos dispositivos até grandes sistemas industriais. Consequentemente, uma ampla variedade de aplicativos IoT está sendo desenvolvida e implementada.

A missão da IoT é facilitar nosso dia a dia e aumentar a eficiência e a produtividade de empresas e funcionários. Os dados coletados nos ajudam a tomar decisões mais inteligentes. Contudo, isso também tem um impacto nas expectativas de privacidade. Se os dados coletados pelos dispositivos forem comprometidos, isso prejudicará a confiança dos usuários nas empresas que utilizam esses dados.

Para saber mais sobre esse tema e entender como enfrentar possíveis problemas, acompanhe nosso post!

 

Inicialmente, o que é IoT?

A Internet das Coisas, ou IoT, refere-se a uma tecnologia cada vez mais popular que permite que dispositivos físicos de hardware, instalados em qualquer tipo de equipamento, se comuniquem e até interajam uns com os outros. O sucesso dessas aplicações depende principalmente da facilidade gerada para os usuários e a confiança na sua segurança, pois muitas dessas comunicações e ações são geradas de forma automática.

Embora os benefícios dessa nova tecnologia sejam grandes, também revelam sérios desafios de segurança da informação. Durante os últimos anos, vimos um aumento dramático no número e na sofisticação de ataques direcionados a dispositivos IoT. Portanto, para obter as recompensas das novas tecnologias, as empresas e os consumidores precisam acreditar que os benefícios da IoT excedem seus riscos.

A urgência para soluções viáveis ​​de segurança em IoT cresce a cada dia. Na mente de muitos líderes empresariais e governamentais, esta a mesma pergunta incômoda: o que precisamos fazer para garantir a segurança nesse cenário?

 

Por que os dispositivos de IoT são um alvo atraente para os hackers?

No roteiro da transformação digital, cada organização em todo o mundo começou a fazer um movimento estratégico no sentido de utilizar novas tecnologias nas operações dos negócios. Aqui, as empresas preveem que os consumidores usarão diferentes tipos de dispositivos de IoT (consumidor, empresa e indústria) para trocar uma enorme quantidade de dados no ecossistema de TI nos próximos anos.

Um dos maiores inimigos da segurança cibernética é o excesso de confiança. Os dispositivos de IoT, independentemente de seu uso, complexidade ou grau são um alvo atraente para os cibercriminosos, já que coletam informações privadas sobre o comportamento do usuário em certas áreas: financeira, saúde e educação.

A possibilidade de acessar e gerenciar os componentes físicos de um dispositivo IoT, como uma câmera de segurança ou microfone, ou informações confidenciais na nuvem, como nossa localização física ou nossos movimentos, representa um grande risco para a privacidade dos dados e até mesmo para a segurança do usuário.

 

Quais são os desafios da segurança em IoT?

O principal desafio de garantir a segurança dos sistemas de IoT é que alguns dispositivos têm recursos limitados, e portanto, não podem executar funções de segurança tradicionais.

Muitos dos dispositivos de IoT não foram criados com a segurança em mente, pois seu principal objetivo era agregar funcionalidade a um baixo custo. Nesse cenário se encontra o principal produtor deste tipo de hardware, o mercado chinês.

Além disso, também não existe um protocolo padrão, tanto para a comunicação como para a segurança de dispositivos de internet das coisas. Isso abre brechas para a infecção por malwares, que infectam a rede à qual estão conectados.

Ainda, a rede pode não ter a capacidade de detectar dispositivos IoT conectados a ela ou a visibilidade de saber quais deles estão se comunicando. O grande problema é que ainda não está claro quais são todos os “pontos cegos” da IOT.

Entre os exemplos de brechas possíveis estão os eletrodomésticos. Se a sua geladeira inteligente puder encomendar mantimentos no supermercado local, suas informações bancárias serão armazenadas na rede da geladeira. Por sua vez, as pessoas que hackearem o dispositivo podem acessar seus dados bancários. Garantir a segurança desse tipo de equipamento deverá ser de responsabilidade do fabricante, embora isso ainda não seja regulamentado.

A comunicação insegura não é a única maneira pela qual os invasores podem coletar informações pessoais sobre os usuários. Todos os dados são transferidos via nuvem e os serviços hospedados também podem sofrer ataques externos. Assim, vazamentos de dados são possíveis tanto em dispositivos próprios quanto no local de armazenamento dos dados (nuvem) ou até na comunicação entre cada gateway.

 

Qual é o impacto da segurança em IoT para as empresas?

A conscientização das questões relacionadas à segurança dos dispositivos e as implicações potenciais de quaisquer vulnerabilidades que estão sendo exploradas ainda não atingiram o ponto em que isso afetará significativamente as decisões de compra do consumidor; no entanto, a maré começará a girar.

Os fabricantes devem tomar medidas para tratar adequadamente as vulnerabilidades conhecidas, bem como precisam ter um processo para corrigir os erros de forma eficiente e segura. Se isso não ocorrer, os consumidores perderão a confiança em seus produtos, em sua marca e até mesmo nos próprios dispositivos da Internet das Coisas.

É dever dos líderes de negócios identificar onde sua empresa pode estar vulnerável. Uma vez que isso seja entendido, os gestores terão uma visão mais clara das ameaças cibernéticas e entenderão como a segurança deve ser incorporada em todo o processo de design do produto, de codificação, de teste e de avaliação.

 

O que precisa ser feito?

Equipar dispositivos inteligentes, carros conectados, empresas e fábricas da Indústria 4.0 com as soluções de segurança certas, desde o início, é fundamental para ajudar a evitar ataques. Ademais, os gateways que conectam dispositivos IoT a redes de empresas e fabricantes precisam ser protegidos.

Em contraste com os dispositivos controlados por humanos, os gateways passam por um processo de autenticação única, o que pode torná-los fontes perfeitas de infiltração nas redes da empresa. Portanto, mais segurança precisa ser implementada nessa ferramenta para melhorar a proteção geral do sistema. Além disso, ter um mecanismo efetivo de gestão de riscos não é novidade, mas é uma parte importante desse processo.

A estratégia correta para segurança ajuda a proteger os dados de uma empresa e mantém a confiança do cliente em sua marca e nos seus produtos. Por fim, as soluções de segurança certas para IoT também podem auxiliar uma empresa a ativar novos modelos de negócios e a economizar nos custos.

Gostou do artigo? Para saber mais sobre segurança em IoT, confira mais um de nossos posts sobre as principais ameaças virtuais em 2018!